Andamos a "carregar um espelho permanente?"A fadiga de ecrã traz consequências para o bem-estar

A experiência intensificada, pela utilização diária de plataformas digitais para teletrabalho, aulas ou convívio, de auto-observacão, de processamento não sincronizado de pistas visuais, de comparação social conduz-nos a sobrecarga cognitiva mas também a uma auto-regulação disfuncional dos nossos comportamentos que explora e amplifica vulnerabilidades emocionais e afecta a saúde psicológica e o bem-estar. À tomada de consciência segue-se a implementação de estratégias pessoais para prevenção. Num trabalho da jornalista Inês Duarte de Freitas para o Jornal Público, o meu contributo com o olhar da psicologia (ler aqui).


Teresa Espassandim

Psicóloga Especialista

Psicologia Clínica e da Saúde | Psicologia da Educação | Psicoterapia | Psicologia Vocacional e do Desenvolvimento da Carreira


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo